CrossFit machuca ou lesiona?

O CrossFit é uma modalidade esportiva que engloba movimentos funcionais que são executados em alta intensidade e de forma variada. Fora do Brasil a metodologia já existe desde os anos 90 e hoje o nosso país é segundo maior em número de academias que praticam a modalidade que mais cresce no mundo por prometer benefícios como emagrecimento rápido, tônus muscular e muita disposição.

Junto com esse grande crescimento também aparecem dúvidas sobre a segurança da modalidade. Não é raro ouvirmos muitos questionamentos sobre as lesões geradas pelo CrossFit e se ele é realmente um esporte seguro de se praticar.

A comunidade científica sempre está de olhos abertos para o que gera grande impacto na população e hoje podemos dizer que o nosso esporte é mais seguro que outras modalidades. Segundo um estudo chamado “A natureza e a prevalência de lesões durante o treinamento CrossFit” (Hak et al, 2013) publicado em novembro de 2013 no Journal of Strength and Conditioning , a cada 1.000 horas de atividade de um “crossfitter” acontecem apenas 3,1 lesões, contrastando as estatísticas do futebol que apontam 7,8 lesões a cada 1.000 horas de prática e do tênis com 4,7 lesões a cada 1.000 horas também.

Sabemos que nenhum esporte ou prática esportiva é livre de risco de lesões, mesmo aquelas feitas de forma recreativa. Se uma modalidade for 100% livre de lesões ela não pode ser considerada eficiente, pois não promoveria adaptações fisiológicas benéficas a saúde por conta da intensidade e volume de treinamento. Logo a metodologia de treinamento aplicada, independente da modalidade, deve sempre respeitar as necessidades e limitações do praticante.

Tendo isto em vista, a segurança durante a prática do CrossFit é diretamente proporcional ao respeito dos pilares da metodologia, competência do treinador (Coach) e consciência do praticante ao entrar em uma academia (box). A distribuição correta dos treinos ao longo dos dias, o controle de cargas e uma análise coerente do risco X benefício de determinado movimento para os alunos devem ser sempre prioridade em um box.

Segundo uma pesquisa online realizada em maio de 2015 com mais de 700 crossfitters pelo treinador Eduardo Loureiro da Bars ‘N’ Rings, praticantes iniciantes (menos de 6 meses de treino) estão sujeitos a 2,5 vezes mais lesões do que os atletas de alto rendimento (mais de 1 ano de treino constante e para competir). Este dado também indica que a longo prazo o número de lesões tende a decrescer, mostrando que o CrossFit é um esporte que não tende a causar lesões crônicas.

Ainda dentro desta pesquisa, o CrossFit se mostrou excepcional ao funcionar como prática regenerativa. Do total de 715 participantes, 54% relataram melhora nas suas lesões pré-existentes, sendo que os resultados mais expressivos são em lesões localizadas nos joelhos (18%), seguido de lombar (15,9%), ombro (6,6%), tornozelo (4,2%) e dorsal (2,9%).

Por fim, entendemos que o maior diferencial da modalidade hoje no Brasil é a qualidade com que o programa de treinamento é montado. Você deve buscar por profissionais capacitados, especialistas e que buscam orientar com excelência a prática dos seus alunos.

14Conheça o Método Trinus e surpeenda-se com o seu potencial!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *